sábado, 21 de abril de 2012

SO



Adormeci so...
Em real solidao.
Nao posso tentar o que nao ha...
nao posso pensar no que nao tenho.
Adormeci so...
Sozinho... pensativo.
Despedidas bruscas, sem sentido.
Pergunto-me...
se adormecer sera remedio.
Se fara sentido...
Se havera cura,
ou mesmo se quero,
deixar de ser so...
Sozinho, solitario...
mesmo acompanhado.
Gosto da solidao...
assim... cada vez mais.
Faz sentido e traz-me bom senso.
Penso na calma dos momentos,
vou filtrando os pensamentos.
Prefiro assim... desisto.
Desisto de tentar ser o que nao sou.
Quero ser o que nunca deixei de ser...
So...

21 abril 2012

4 comentários:

  1. Lindo... muito lindo poema Carlos Lobato!
    Parabéns... adorei lê-lo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, maria Batista... ainda bem que gosta :)

      Eliminar
  2. Poesia e sentimento puro...vim visitar e gostei!
    Um abraço!

    ResponderEliminar