quarta-feira, 19 de julho de 2017

SEM MEDO DE PERDAS






Quando o céu adormece,
E a escuridão se ilumina,
É especial o carácter da vida.
Os Mestres sabem falar
De todos os mistérios.
Criam um pátio, palco teatral
Onde os mortais se acomodam
Em supostos lugares pre destinados
Numa plateia sossegada
Num anfiteatro criado à medida.
Só revelam o necessário
Para alimentar a herança da dúvida!
Assim eles dizem, assim eles fazem.
São os anjos, flamejantes máquinas
De Gigantes bíblicos infiltrados?
São os escribas, retomas encomendadas
E alimento para culturas diferentes?
Romantizada é a História,
Que os olhos lêem por tempos
Até que o Tempo os engane.
Nada do que era o é agora.
Sobra sempre o que está acima,
Falta sempre o que está abaixo!
Hermética comunicação dos Deuses,
Ou filosofia de uma existência
Que nos transforma em nano seres
Inventados para entretenimento?!
É certo que pensando,
Temos de adiantar o jogo,
Vivendo-o com individualidade.
Ser livre é a base da lei!
Por isso sou livre,
Por isso penso e digo o que penso.
Não invento, mas assimilo os Ensinos.
Quero aprender, porque é esse o jogo.
Um jogo sem fim,
Este que nos toca jogar.
Joguemos sem medo de perdas
Porque tudo se transforma,
Na forma, entre o corpo e a Alma.




19JULHO2017