segunda-feira, 19 de agosto de 2013

SEIVA DOS DEUSES




Deixa pintar
essa pele branca.
Cores quentes.
Deixa que o toque
te ferva o corpo.
Dá-me nua
essa boca louca,
que entra em mim.
Entra,
esboça a nudez
colada de suor,
mas vem.
Segue o cheiro
dos óleos mornos.
O toque,
mais um que seja.
O penetrar-te,
será intenso.
O beijo,
esse trémulo prazer,
esse abraço eterno
que me aperta.
Suplica-me o acto,
e devagar,
deixa-me arder,
ao  entrar no teu fogo.
São chamas,
sangue que ferve,
corrida lenta.
Fusão de corpos,
nossa pele,
aveludada loucura.
Deixa pintar,
essa pele branca,
com a seiva dos deuses.
Dá-me o nú profanado,
neste abandono sagrado.
Sente-me.

19AGOSTO2013



Sem comentários:

Enviar um comentário