quinta-feira, 27 de março de 2014

TUDO!




Podia escrever tudo!
Tanto de tudo.
Mas, já não chega o tempo!
Já não me chega o tempo!
Palavras. Jogo eterno.
Carrego fardos.
Inusitado e cego.
Podia escrever-te aqui,
tudo!
São tantas as palavras,
que me faltam.
Podia esquecer-te,
entregar-me ao nada,
fugir.
Um pouco de tudo.
Já não fujo.
Apenas fico,
vejo,
tanto,
um pouco.
Tudo.


27MARÇO2014

3 comentários: