segunda-feira, 14 de novembro de 2011

ACORDEI ASSIM

Acordei assim...

Corpo dormente...
Alma quente..

Visao desfocada.
Um sonho fantastico...

Acordei cansado.

Sonhei... era feliz.
Sempre fui feliz.

Moldei um castelo de areia.
Moldei-o nas maos.
Moldei-o nos dedos.

Fragil...

Um castelo de sonho.
Ruiu... de subito.

Nao tinha raiz,
em areia moldado.

Olhei o espaco... vazio.
Recordei o explendor.

Fragil...

Triste e sem rancor,
olhei o caminho.

Sentei-me... pensei o que era...
Pensei o que sou...

Acordei !
   
Sou feliz !

14 Novembro 2011

4 comentários:

  1. Belíssima poesia Poeta... Meus parabéns e tenha um dia iluminado!!

    ResponderEliminar
  2. Poeta, sempre oportunos sentimentos. Então, nossos dedos tocam em teclas que estão próximas e causam extranheza ao esplendor. Que de qualquer modo não tira do verso a rima e a beleza. abraços juterra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Abraco Jusseli e sempre um prazer ler as suas criticas!

      Eliminar