domingo, 1 de janeiro de 2017

QUE TE DIRIA EU?





O que eu te diria
Com a chuva das flores?
O vento, seria fraco
As portadas presas
Fingiriam um esforço.
Desnecessário.
Só te veria passar,
pelo canto do olho
Para que não me visses.
Nem um pestanejar,
Nem um movimento
Que me denunciasse.
Direccionado é o amor.
Nem eu o travo
Salta e voa
E encontra quem procura.
Nada a fazer
No que toca ao amor.
É o brilho das estrelas
Que chega atrasado
Por milhares de anos.
Mas vive
Como eu vivo
Como vivemos
Como nada mais alimenta
Uma fome que se torna sedenta.
E bebo-te os sentidos
As sensações
E todas as equações possíveis.
Que te diria eu?
Que te amo?
Claro que sim!



01JANEIRO2017

Sem comentários:

Enviar um comentário