quinta-feira, 14 de agosto de 2014

IMAGINEM




Imaginar um poema.
Percam um pouco de tempo.
Tenham a coragem de ler,
Tanta coisa estranha e doce,
Tanta coisa estranha e amarga.
Coisas simples, ilusões, amor.
Sentimentos básicos,
Elevados a desabafos.
Imaginar a crueldade.
Nua e crua, imensa.
A sinceridade, parcamente dita.

Relaxem.
Sentem-se e, cruzem as pernas.
Peguem a chávena do chá,
Do café, do copo de whisky.
Mexam ao ritmo das palavras.
Se for amargo, o açúcar adoça.
Se for mau, o alcool apaga.

Imaginem a vida sem palavras,
Sem os símbolos, sem as letras.
Fujam à ignorância.
(Por favor!)
Sintam a força da fragilidade.

Um livro, uma amizade,
Uma viagem que se guarda.
É a tentação a que chega,
É boa e, o bom,
É vivê-la com intensidade!

Imaginem um poema.
Um mar de cheiros e tatos,
Um fechar de olhos,
Um Portal do imaginário.

Agora,
A vida sem poesia.
Imaginem...


14AGOSTO2014

Sem comentários:

Enviar um comentário