domingo, 1 de maio de 2016

TEMPUS FUGIT




Foges tu tempo,
De tempo a tempo,
De mim.
Sei dos segundos,
Que tilintam primeiro,
Sei dos minutos,
Que me atrasam o jeito;
Esta pressa desnecessária.
Só as horas me dão tempo,
Algum tempo.
De todo o Tempo,
Já não me chega o que quero.
Feliz sou, em privilégios
Conquistados no tempo.
No meu tempo,
Que corro para não perder.
Só tu és Tempo,
De todo um outro Tempo,
Que não me dá o necessário.
Não sei quanto demoras, ó Tempo,
Como te crias no Tempo.
Só sei o desperdicio.
Sim!
Pois sei, o tanto desperdicio,
Que é não pensar no Tempo.
Não te lamento!
Impossível fugir
Do Tempo!



01MAIO2016

Sem comentários:

Enviar um comentário